Mito da Dança

Mito da dança
No princípio de tudo, havia um grande rio que fluía sobre toda a superfície da terra. E apenas o que a povoava eram três espíritos que dançavam sobre as águas cuja intimidade entre eles eram tão profunda que se fundiam e se tornavam um – Ashalan.

Não havia, sol e muito menos estações. A escuridão preenchia as águas e os ventos recortavam a profundidade do grande oceano.
Apesar de suas particularidades, os três espíritos habitavam o grande oceano num estado de prazer e inconcebível felicidade quando os movimentos de seus corpos transfigurados fluiam livremente pelas águas, ritmicamente e em harmonia com o ambiente. Até que os espíritos, sentiram falta de alguém a mais para projetarem e até mesmo compartilharem o fluxo de sentimentos liberados nos seus movimentos da dança.
Os espíritos então decidiram criar juntos um novo ambiente para habitarem suas novas criaturas, afim de dançarem juntos em meio a adoração rendida a eles. Foi ai que os deuses cobriram parte da superfície das águas com uma terra vermelha e fez gerar toda sorte de seres vivos para os adorarem.

Depois de criar o ambiente desejado, criou as autoridades e depois o homem. E os espíritos ordenaram ao homem: movimentem-se para nós, os espíritos do princípio. E o movimento do homem gerava o parto das demais criaturas. Cada movimento de dança liberado, era criado algo novo em seu ambiente. A habitação dos espíritos (Ashalan) passou a cobrir toda a terra, exceto ás criaturas, pois elas refletiam e carregavam a glória deles. Desta forma, separados os corpos das criaturas e das autoridades, eles podiam enfim dançarem juntos.

Os espíritos (Ashalan) e as autoridades então entravam em contato com os humanos quando eram solicitados ou convidados para participarem de suas festas. Quando isso ocorria, os humanos eram tomados pelos espíritos, oferecendo-lhes danças proféticas, embriagados pelo êxtase da dança.
Mas com o passar do tempo os homens percebam que eles não precisavam mais dos espíritos podendo realizar seus desejos sem a ajuda deles. A dança foi substituída, os ritmos, os sons. Alguns não sentiram a falta dos espíritos, outros adoeciam pela distancia deles. O tempo se passou até que eles se esqueceram das suas origens, e estabeleceram suas próprias leis.

Construíram suas cidades e habitações, seu mundo de acordo com seus desejos mais infames. Um terço das autoridades também já não estava satisfeitas pois eram pouco solicitadas pelos humanos, então guerrearam entre si para obter poder semelhante a Ashalan.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: